Educação quer identificar fraudes de endereços nas matrículas

A Unidade de Gestão de Educação inicia processo de identificação de alunos residentes em outros municípios matriculados nas Escolas Municipais de Educação Básica de Jundiaí (Emebs). O trabalho é realizado por equipe técnica em visita aos endereços apresentados às escolas. Somente em uma região verificou-se que 20% dos estudantes são provenientes de cidade vizinha, sobrecarregando a rede jundiaiense.

A validação documental vai abranger todos os alunos da rede. Para a verificação de endereço, a abordagem é feita por uma equipe credenciada e identificada com crachá da Unidade de Gestão/Prefeitura de Jundiaí. Após constatado que o estudante não reside no Município, os responsáveis serão orientados a buscar o atendimento na cidade onde mora.

“A Educação de Jundiaí é reconhecida pela Escola Inovadora e com Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 7,1 – valor projetado para 2021 – é de excelência. Muitas pessoas de outras cidades acabam buscando nossos equipamentos para matricular o filho. Isso sobrecarrega a nossa rede e restringe o acesso do próprio jundiaiense. Para evitar o problema a unidade fará visita para confirmar os endereços apresentados pelos responsáveis às escolas”, comenta a gestora da Unidade de Gestão, Vastí Ferrari Marques.  Somente na primeira escola visitada, na região do bairro Agapeama, dos 570 alunos, 100 moram em outra cidade.

 

Creches

A visitação aos endereços registrados em fila de espera para vagas em creches em Jundiaí terá início no dia 09 de setembro. Atualmente, existem 2.574 mil crianças entre 0 e 3 anos registradas no aguardo de chamamento. “Fizemos várias visitas nos últimos meses para a verificação da origem das crianças que aguardavam pela vaga e, neste processo, ficou identificado que parcela não era jundiaiense”, comenta a gestora.

“Entendemos que a nossa educação é de qualidade, com oferta de material escolar, alimentação orgânica, uniforme, inglês a partir dos 4 anos, italiano também inserido na grade e o Fab Lab para formar gerações preparadas. No entanto, parte da população de Jundiaí está sendo prejudicada por falta de vaga próximo a sua residência, por exemplo, pela vaga estar sendo ocupada por crianças que deveriam estar estudando na sua cidade, próximo de casa”, argumenta.