Região da Vila Maringá terá investimentos em segurança

Em mais uma etapa da apresentação de ações e projetos da Prefeitura para diferentes pontos da cidade, foi a vez da Vila Maringá receber a prestação de contas realizada pelo prefeito Luiz Fernando Machado, que ressaltou atenção principalmente para iniciativas voltadas à segurança da região. A atividade foi realizada na paróquia Santa Rosa de Lima

O prefeito abordou a questão do sistema de monitoramento e indicou estudos para a instalação de 21 câmeras OCRs capazes, além do monitoramento, de realizarem a leitura da placa de veículos. “Eu tenho esse compromisso. É uma região onde existem pontos cegos que não cabem monitoramento à distância, e vamos trazer estes equipamentos para cá”, destacou.

Antes de apresentar outros investimentos e ações, Luiz Fernando, como fez em outras localidades, ressaltou que seu governo foi pautado nos dois primeiros anos por prioridades focadas na área da Saúde, Educação, redução do déficit orçamentário e até quitação de débitos com servidores, além da reorganização administrativa.

Somente na Saúde, a recuperação do Hospital São Vicente foi um dos grandes desafios citados por ele. “Além de colocar a casa em ordem e superar dividas, com o projeto ‘Acolha um Quarto’, estamos dando um salto de qualidade aos serviços prestados no HSV. Mas ainda temos muito o que avançar”, argumentou.

 

Números

Na parte inicial da prestação de contas, uma pane elétrica provocada pelas chuvas da noite de quarta-feira desligaram a iluminação do salão cedido pela paróquia Santa Rosa de Lima. O prefeito, no entanto, deu andamento, sem material de apoio, à apresentação dos investimentos realizados na região em infraestrutura e zeladoria urbana.

Luiz Fernando citou valores e vias recentemente contempladas como a Avenida Clemente Rosa (R$ 1 milhão) e os recapeamentos concluídos nas ruas Centenário (R$ 173 mil), Paraná (R$ 250 mil), Apolo de Almeida (R$ 160 mil), Angélica Queiroz (R$ 195 mil), dentre outras. “No Jardim Palermo, tivemos problemas para a conclusão do asfaltamento, mas isso será superado”, explicou.

Antes de iniciar a parte de respostas às dúvidas ou reivindicações de moradores que participaram da reunião, o prefeito de Jundiaí enfatizou o trabalho de equação dos problemas da área de transporte público, outra demanda da região e de toda a cidade que, segundo ele, com o crescimento observado nos últimos 23 anos, precisa de um novo modelo.