‘Detetives da Ciência’ apresentam experiências

Despertar a curiosidade nas crianças a partir de aplicações práticas é o foco principal do Programa Escola Inovadora, da Prefeitura de Jundiaí. Entre os projetos que fazem parte do cardápio da Unidade de Gestão de Educação está o “Projeto Experimento”, realizado a partir da parceria com a multinacional Siemens e que foi a base utilizada para o desenvolvimento do programa pedagógico ‘Detetives da Ciência’.

Promovido pela EMEB Ramiro Araújo Filho, com os cerca de 200 alunos, houve na manhã desta sexta-feira, 29, a apresentação de atividades relacionadas ao projeto, por meio de experimentos feitos pelas crianças, com a participação dos pais e familiares.

De acordo com a coordenadora pedagógica da EMEB, Fabíola Garcia de Mattos, as atividades dos detetives mirins foram direcionadas para as áreas de saúde e meio ambiente. “Ter uma boa pergunta é o que move a curiosidade e o conhecimento. As questões exigem hipóteses de respostas e foi isso que o projeto propiciou para as crianças, que desenvolveram atividades em sala de aula e em casa, como detetives e cientistas.  Com ótimos resultados conquistados, a atividade foi incorporada  ao projeto pedagógico da unidade para os próximos anos”, explicou.

Entre os experimentos realizados está o de Ana Lyce de Almeida, 4 anos, do grupo G4, que aprendeu sobre o corpo humano. Com o uso de comprimidos efervescentes, simulou a digestão de alimentos mastigados corretamente e dos não mastigados. “A proposta de crianças realizarem experiências é fantástica. A aprendizagem é facilitada”, comentou a mãe, Amanda de Almeida, 24 anos.

A família de Emily Manzato, 5 anos, ajudou a aluna a desenvolver o experimento de fermentação do leite. “O pai é químico, então, o dever de casa se transformou em uma grande atividade, envolvendo todos. Separamos os ingredientes e acompanhamos a realização. A criança é uma caixa, pronta para guardar tudo o que é apresentado. A proposta da Educação de Jundiaí propicia a formação de crianças criativas e argumentativas”, analisou a mãe, Patrícia Manzatto, 40 anos, que visitou todos os experimentos apresentados pelos alunos.

A menina aprovou a metodologia. “Eu aprendi como é que o leite azeda. É desse processo que começa a fabricação do queijo, que eu adoro”, contou.

Camilly Queiroz, 5 anos, também aprendeu sobre o sistema digestivo. “Eu fiz a experiência com o leite fermentado com vinagre. É uma reação que acontece com os alimentos”, contou a menina, que ainda aprendeu sobre a importância da escovação correta dos dentes e as implicações da má higiene.

%d blogueiros gostam disto: