Empregos: Jundiaí tem o melhor novembro em 12 anos

A divulgação do Índice de Evolução de Emprego do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) indicou que Jundiaí obteve o melhor novembro em mais de uma década no que se refere à criação de novos postos de trabalho. O saldo de vagas formais no município, no mês, foi de 1.339.

Resultado similar não vinha sendo obtido na cidade desde 2007 e, segundo representantes da Unidade de Gestão de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (UGDECT) da Prefeitura de Jundiaí, premia os esforços de integração entre os setores público e privado.

O dado do mês colocou Jundiaí, em novembro, como o quarto melhor saldo de emprego formal do Estado de São Paulo. No acumulado do ano, o município ocupa a oitava posição dentre os melhores saldos, com a marca de 3.442 empregos formais.

Os setores com maiores saldos positivos no mês, em Jundiaí, foram Serviços, com saldo de 722, e Comércio (664). Cenário similar em todo o País, em função do período de Natal, da liberação dos saques do FGTS e da recuperação do crédito pessoal.

Para o diretor da Unidade de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, os resultados foram muito bons, em linha com a posição de destaque da economia jundiaiense em relação ao Estado (7ª maior economia municipal). “Num quadro de recuperação cíclica da atividade econômica, o município está muito bem preparado para continuar se destacando, pois somos um dos mais bem estruturados e competitivos municípios brasileiros”, destaca José Roberto Pellizzer.

Já o gestor da Unidade, Messias Mercadante, ressalta os recentes esforços realizados para, não só aproximar o poder público da iniciativa privada, mas também para garantir que a construção da atividade econômica seja intensificada em âmbito local.

 

Reflexos

O controle da inflação em 2019 e as reformas estruturais que se seguem à reforma da Previdência, dentre outros fatores, são indicados por setores ligados ao governo de Jundiaí como capaz de aumentar o nível de confiança dos investidores no Brasil em 2020, com reflexos possíveis de serem sentidos em diferentes regiões, aumentando o número de emprego e renda.

Confiança representa investimentos e aumento do consumo, um quadro favorável que poderia ter impacto até mesmo na arrecadação estimada para a cidade no próximo ano. “Cerca de 30% do orçamento de Jundiaí vêm do ICMS e isso é atividade econômica na veia. Quando o consumo aumenta, a receita governamental aumenta também”, relacionou o gestor de Governo e Finanças, José Antônio Parimoschi.