Diretora do DEBEA faz reunião com vereadores

A diretora do Departamento de Bem-Estar Animal de Jundiaí (DEBEA), Daniela Araújo Passos, esteve na Câmara Municipal nesta segunda-feira (10) para apresentar aos vereadores o trabalho realizado pelo órgão em 2019 e os planos para 2020. Ela aproveitou para esclarecer algumas dúvidas dos parlamentares a respeito dos mutirões de castração regulares de cães e gatos organizados pelo DEBEA, a ‘microchipagem’ dos bichos (para reunir informações de seus tutores), o controle populacional dos animais e a necessidade de uma maior conscientização por parte da população quanto a bichos abandonados.

Segundo Daniela, um dos grandes problemas que o órgão enfrenta atualmente é a questão dos animais semi domiciliados. “São aqueles que têm um responsável, comida e abrigo, mas que vivem nas ruas. Muitos deles não são castrados e se reproduzem constantemente. Se os munícipes entenderem a importância da castração e os cuidados com seus bichos, teremos um melhor controle da população de rua e menos animais maltratados e abandonados. A sociedade tem que assumir esta responsabilidade”, disse a diretora do DEBEA.

Em Jundiaí, a proporção estimada por especialistas no assunto é de um cachorro para cada quatro cidadãos e de um gato para cada sete pessoas. Daniela Araújo Passos informou que, em 10 anos, se um casal de cães procriar como normalmente faz, ou seja duas vezes ao ano, e seus descendentes também, ele e sua cria poderão gerar mais de 80 milhões de animais ao final da década se não forem castrados.

Onze dos 19 vereadores da cidade participaram do encontro. Daniela apresentou números do trabalho do DEBEA em 2019. O órgão fechou o ano com 87 animais abrigados e 28 adoções realizadas. Doze animais de pessoas acumuladoras de bichos foram acompanhados pelo Grupo Técnico Intersetorial e houve ainda 1.773 atendimentos clínicos a cães e gatos de pessoas de baixa renda.

“O DEBEA tem atualmente o cadastro de 1.201 munícipes para atendimento veterinário gratuito, sem contar o registro de identificação de todos os bichos com microchip. Ainda castramos 2.883 animais, sendo 1.004 cadelas, 573 cães, 759 gatas e 547 gatos”, destacou Daniela. Só em janeiro de 2020, o órgão realizou 835 castrações e, até dezembro, planeja fazer cerca de quatro mil cirurgias.