Bispo anuncia medidas preventivas contra Coronavírus

O bispo da Diocese de Jundiaí, dom Vicente Costa, anuncia uma série de medidas de prevenção ao Coronavírus em toda a região. A partir de agora as reuniões, celebrações e eventos da Igreja Católica devem evitar abraços, apertos de mãos e os contatos próximos. A oração do Pai Nosso não deve mais ter as mãos dadas entre os fiéis. A Sagrada Comunhão deve ser servida exclusivamente nas mãos dos fiéis e não mais na boca.

As medidas adotadas pela Igreja Católica foram enviadas para todos os padres, Administradores Paroquiais, Diáconos, Seminaristas e com pedido para tornar público para fiéis e não fiéis.

Fazem parte da Diocese de Jundiaí 66 paróquias e uma área pastoral, em onze cidades: Jundiaí, Cabreúva, Cajamar, Campo Limpo Paulista, Itu, Itupeva, Louveira, Pirapora do Bom Jesus, Salto, Santana de Parnaíba e Várzea Paulista.

A Diocese tem uma população de mais de um milhão de habitantes, dos quais cerca de 66% professam a fé católica. Hoje a Diocese de Jundiaí conta com 87 sacerdotes incardinados, 25 sacerdotes membros de Institutos Religiosos e 91 diáconos permanentes e 50 seminaristas.

Veja o comunicado na íntegra

Jundiaí − SP, 28 de fevereiro de 2020.
Comunicado AE 1/2020
Comunicado da Ação Evangelizadora Diocesana
Orientações para a Diocese de Jundiaí em relação à disseminação do COVID-19
“Coronavírus”
Caros irmãos Párocos, Administradores Paroquiais, Diáconos e Seminaristas,
Estimados Religiosos e Religiosas,
Queridos fiéis leigos e leigas,
Nos últimos dias tem nos causado grande preocupação o avanço do chamado “Coronavírus” em várias
partes do mundo. Nesta semana, tivemos a confirmação do primeiro caso no Brasil: um passageiro de São
Paulo vindo da Itália. Também na cidade de Jundiaí, segundo a Nota Oficial da Prefeitura Municipal, publicada
no último dia 27 de fevereiro, existe “uma pessoa em observação para o Novo Coronavírus (COVID–19)”.
Embora na cidade de Jundiaí e nas outras cidades que compõem o território diocesano, não há registros
ainda de casos suspeitos, confirmados ou descartados da doença, achamos por bem exortar os fiéis clérigos e
leigos, a adotarem algumas medidas de conscientização e prevenção no combate à proliferação desse vírus em
nossas Paróquias, Seminários e Casas Religiosas e nos encontros das Pastorais Especificas, Movimentos
Eclesiais, Associações de Fiéis e Novas Comunidades.
Assim recomendamos:
1. Para uma maior conscientização, procurar orientar a todos sobre os cuidados com a higiene das
mãos;
2. Evitar, em momentos de acolhida e encontros, os apertos de mãos e abraços.
3. Não se deve rezar a Oração do Pai-Nosso de mãos dadas.
4. Nas Missas e Celebrações da Palavra não se dê o Abraço da Paz.
5. Não distribuir a Sagrada Comunhão sob as duas espécies.
6. Nas Eucaristias com as Comunidades do Caminho Neocatecumenal, as(os) Ostiárias(os) tenham
muito cuidado com a higienização das mãos ao cortarem os pães ázimos na preparação da Eucaristia,
Diocese de Jundiaí – Setor da Ação Evangelizadora
Rua Engenheiro Roberto Mange, 400 – Anhangabaú – CEP13208-240 – Jundiaí – SP
Fone (11) 45837470 – www.dj.org.br / [email protected]
e não deverão ser utilizados os cálices com o precioso Sangue do Senhor, tanto nas assembleias
paroquiais quanto nas convivências e Celebrações de Ritos.
7. A Sagrada Comunhão seja recebida, exclusivamente, na mão a fim de evitar o contato com a boca
do fiel.
8. Em salas e igrejas climatizadas, o ar condicionado (modo frio) deve ser regulado para uma
temperatura mais próxima à temperatura ambiente.
9. Onde não se tem a climatização do ambiente, manter o espaço (salas e igrejas) o mais aberto e
ventilado possível.
Na semana em que iniciamos, com toda a Igreja no Brasil, a Campanha da Fraternidade 2020, que tem
como objetivo o compromisso e o cuidado com a vida, tais recomendações são necessárias para ajudarmos a
combater esse vírus.
Como cristãos sabemos que existe um vírus muito mais mortal: o do pecado! Nesse tempo quaresmal, a
Igreja nos coloca “em quarentena”. A exemplo do Bom Samaritano, imagem de Jesus Cristo, a Igreja vê, sente
compaixão e cuida de todos nós (cf. Lc 10,33-34). Para um vírus tão mortal quanto o pecado, temos um
antídoto imortal: Jesus Cristo, que nos chama à conversão e ao testemunho diante dos homens e mulheres desse
tempo.
Com responsabilidade e um autêntico compromisso com a defesa e a promoção da vida, passaremos por
essa situação difícil e celebraremos, também, a vitória sobre este vírus que ameaça a nossa vida.
Em Cristo, que nos une e nos faz irmãos,
________________________________
Pe. Leandro Megeto
Coordenador Diocesano da Ação Evangelizadora
De acordo.
____________________________
Dom Vicente Costa
Bispo Diocesano de Jundiaí