Coronavírus: higiene das mãos é essencial

Uma das principais medidas de segurança que deve ser adotada para evitar a proliferação do Novo Coronavírus (COVID-19) é a higienização frequente das mãos. Parece ser algo simples, mas se a limpeza não for feita corretamente, perde totalmente seu efeito.

“É preciso utilizar sabão e água corrente, lavar entre os dedos, costas das duas mãos, os dedões, os punhos e o quanto mais próximo do cotovelo conseguir chegar, melhor. A lavagem deve durar no mínimo 20 segundos”, explica o médico infectologista do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo, Marco Aurélio Cunha Freitas. Em locais públicos, o sabão deve ser líquido.

O cuidado não se resume à lavagem das mãos, mas também na hora de secar. “O ideal é papel toalha descartável que, depois de enxugar as mãos, deve ser usado para fechar a torneira, evitando contato físico. O descarte deve ser sem contato com o lixo, se tiver uma pedaleira que o mantenha fechado, é ideal”, destaca.

“A contaminação do Coronavírus ocorre por gotículas de saliva ou de secreções nasais, que são transmitidas pelo espirro, tosse, catarro ou até mesmo pela fala em uma distância menor que um metro. Se a pessoa leva as mãos à boa ou nariz, essas gotículas podem permanecer nas mãos e em todas as superfícies que a pessoa tocar”, explica. “É importante que quando for tossir ou espirar, cubra a boca e o nariz com a dobra do cotovelo, local do corpo com menor risco de transmissão”.

O álcool em gel, 70%, é outra opção para manter as mãos limpas. Porém, seu efeito é nulo se as mãos não estiverem limpas. “Se tiver com as unhas sujas, mão com aspecto de sujidade, não tem como garantir a eficácia do álcool no combate aos vírus e bactérias”, alerta o médico. Outro ponto importante é que o álcool em pequenos frascos deve ser individual, evitando o compartilhamento.

A aplicação do álcool em gel é similar à lavagem das mãos. “Importante espalhar entre os dedos, friccionar a palma das mãos, dedão e punhos, como é feito na lavagem”, diz