Guarda prende agressor que descumpriu protetiva

Mesmo com medida protetiva contra o marido, uma mulher de 28 anos foi agredida a socos e ainda mantida em cárcere privado pelo seu companheiro na sua residência no Jardim São Camilo.

Nesta sexta-feira (03) por volta das 07h30 a equipe da Patrulha Guardiã Maria da Penha da Guarda Municipal de Jundiaí recebeu através do whatsapp um pedido de socorro da vítima, que é uma das 168 assistidas pelo programa.

Os guardas da patrulha, Pontes e Melo com o apoio de viaturas do patrulhamento foram até a casa da mulher e se depararam com a vítima com vários ferimentos no rosto.

“Quando chegamos na residência, percebi que a vítima estava em estado de choque como se não acreditasse que tínhamos chegado. Disse para ela ficar tranquila. Ela nos disse que tinha a esperança que íamos chegar”, disse a GM Melo que ficou emocionada ao ouvir o depoimento dela.

Segundo relato, a mulher aproveitou do descuido do agressor para mandar a mensagem de ajuda para a GM.

O marido de 25 que atendeu os guardas na residência não ofereceu resistência e foi detido rapidamente e levado até à Delegacia da Mulher. A vítima foi encaminhada às pressas até o pronto socorro do Hospital São Vicente com diversos ferimentos no rosto.

Com quase 12 de ocorrência, a autoridade policial ratificou a voz de prisão ao agressor por descumprir a medida protetiva e recolhido até o Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista.

A vítima permanece internada depois de diversos exames realizados.

Neste período de pandemia e com o distanciamento social, os guardas mantém contato com as mulheres assistidas pelo programa através de aplicativos de mensagens.

1º ano da Patrulha Guardiã Maria da Penha

No dia 1º de julho, o programa que além da GM, tem o Ministério Público, o Ministério da Justiça e as unidades de gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS), Promoção da Saúde (UGPS), de Educação (UGE) e da Casa Civil (UGCC) de Jundiaí completou um ano.

Entre as atribuições da patrulha, estão a fiscalização das medidas protetivas e o diálogo contínuo com as vítimas para saber se os autores estão cumprindo a lei.

Foram realizados de julho de 2019 até hoje 2.580 atendimentos com 298 assistidas neste período.

No momento a Guardiã Maria da Penha está com 163 medidas protetivas em vigência.

Texto: Luciano Guerino

Anúncios