Professora Tutu, que teve Bolsonaro como aluno, morreu

Jundiaí perdeu nesta semana uma das mais respeitadas professoras, a “Tutu” (Benedita Yolanda Macedo Marins de Lucca), de 101 anos.

Ela ensinou milhares de alunos durante a sua vida e formou uma grande família na cidade, com duas filhas, quatro netos, nove bisnetos, além de duas trinetas. Mas ganhou notoriedade nacional em 6 de dezembro, quando o presidente da República, Jair Bolsonaro, postou uma videochamada que fez para a casa dela, que o “Jornal da Região” mostrou.

Dona Tutu disse que naqueles tempos em que foi professora de Jair Bolsonaro havia respeito dos alunos com as professoras.

O presidente respondeu para ela que lembra muito bem que todos os alunos chamavam as professoras de “senhora”, que havia grande respeito.

Bolsonaro contou que residia na rua João Scabin, 107, no bairro do Vianelo, em Jundiaí e ia até o Colégio Siqueira de Moraes, onde era aluno, para ter aulas com a Professora Tutu,

A família da professora informa que ela faleceu de forma natural, sem nenhuma doença aos 101 anos completados no dia 26 de fevereiro.

 

A neta de Tutu, Patricia de Lucca, disse que é um orgulho para a família a avó ter dado aula para o “Presidente da República”. O próprio Bolsonaro admitiu na chamada por vídeo que aprendeu muito com a professora Tutu.

O corpo da professora foi sepultado no Cemitério Parque dos Ipês.