Integração para o desenvolvimento, defende Gustavo Martinelli

Em agosto, a Aglomeração Urbana de Jundiaí completa 10 anos de institucionalização. Agora o próximo passo rumo ao desenvolvimento seria criar a Região Metropolitana de Jundiaí, reunindo as sete cidades que já fazem parte da AUJ, mais o município Itatiba.

A criação da Região Metropolitana de Jundiaí faria todo sentido, já que Cabreúva, Campo Limpo Paulista, Itatiba, Itupeva, Jarinu, Jundiaí, Louveira e Várzea Paulista compartilham realidades e desafios semelhantes.

Somos quase 1 milhão de habitantes e contribuímos com mais de 3% do PIB estadual. Somos uma região pujante, fortemente industrializada, com grande potencial logístico graças à localização estratégica próxima a rodovias importantes, com apelo turístico e importância ambiental, com destaque para a Serra do Japi.

Integrados formalmente, as ações individuais dos municípios passariam a ser coordenadas em conjunto, tendo assim mais peso.

Teríamos mais representatividade na esfera estadual, o que permitiria o planejamento a médio e longo prazos e a execução de ações conjuntas para questões de saúde, educação, segurança, mobilidade, transporte e meio ambiente.

Teríamos também mais força e crédito para conseguir financiamentos (inclusive internacionais), firmar convênios e parcerias, o que impulsionaria o desenvolvimento social e econômico.

Você pode perguntar: e como essa integração faria a diferença na prática?

Entre os impactos positivos, destaque para a melhoria da infraestrutura de serviços públicos, a ampliação do mercado de trabalho e a geração de emprego e renda, com reflexos positivos diretos na qualidade de vida da população.

Um exemplo é a manutenção da Marginal do Rio Jundiaí, que interliga Campo Limpo Paulista, Jundiaí e Várzea Paulista – questão que seria mais facilmente solucionada dentro de uma Região Metropolitana.

Outro exemplo é a distribuição de medicamentos de alto custo, que passaria a ser centralizada em Jundiaí, não mais em Campinas. O mesmo ocorreria com a emissão de passaportes, hoje disponível apenas na região de Campinas. O Instituto Médico Legal (IML), ganharia em agilidade e infraestrutura.

Nosso descolamento de Campinas teria sido importante também durante a pandemia, quando a região de Jundiaí, mesmo com números muito melhores no combate à Covid, dependia do desempenho de Campinas para avançar no Plano São Paulo.

Defendo a integração para o desenvolvimento. Defendo a criação da Região Metropolitana de Jundiaí.

Gustavo Martinelli
Vice – Prefeito de Jundiaí